This website is best viewed with CSS and JavaScript enabled.

Homenagens prestadas após a morte de Barbara Harris - a primeira bispa da Comunhão Anglicana

Posted on: March 17, 2020 4:47 PM
Bispa Barbara Harris, então aposentada, lidera hinos durante a convenção de eleição da Diocese de Massachusetts em 2014.
Related Categories:

Foram prestadas homenagens à Bispa Barbara Harris após sua morte na sexta-feira em Lincoln, Massachusetts. A Bispa Barbara foi a primeira mulher a ser consagrada como bispa na Comunhão Anglicana. Ela foi internada no hospital em Boston no dia 29 de fevereiro com graves sintomas gastrointestinais. Ela foi operada no dia 1º de março, mas sua condição continuou a debilitar. Após vários dias de internamento hospitalar ela foi transferida para a casa de cuidados Care Dimensions Hospice House, onde morreu na sexta-feira (13 de março). Ela tinha 89 anos.

O Bispo Presidente da Igreja Episcopal com sede nos EUA, Michael Curry, rendeu homenagens à Bispa Barbara. “A Bispa Harris não era de grande estatura física. De fato, foi o contrário ”, afirmou. “Mas ela era maior que a vida.”

“Ela era maior que a vida porque viveu a vida plenamente com seu Deus e conosco. Ela fez isso vivendo realmente o amor de Deus ensinado por Jesus. Ela fez isso caminhando pelo vale solitário da liderança abrindo caminhos para muitos de nós cujo caminho estava bloqueado. Ela fez isso levantando a voz por aqueles que não tinham voz. Ela fez isso com uma piada, uma palavra sussurrada ou uma alegria secreta, apesar de todos os obstáculos que encontrou no seu caminho, inclusive a morte. Não é de admirar que ela tenha intitulado o seu livro de memórias, ‘Aleluia, de qualquer maneira!’”

O Bispo Alan Gates, Bispo de Massachusetts, diocese na qual ela serviu por mais de três décadas, disse: “Nosso coração está realmente pesado com a perda de alguém que foi por 31 anos uma companheira fiel totalmente irrepreensível, uma pastora e fonte de inspiração para todos nós na Diocese de Massachusetts. Ao mesmo tempo, nossos corações estão realmente confortados com a esperança que ela mesma pregou e a convicção que ela corporificou ao longo de todos esses anos.”

A Casa dos Deputados é a Convenção Geral (sínodo) da Igreja Episcopal com sede nos EUA, para padres e leigos. Seu Presidente, Gay Clark Jennings, disse: “É quase impossível imaginar a Igreja Episcopal sem a Bispa Barbara Harris. . . Barbara era enérgica, fiel e, como certa vez uma jornalista a qualificou, ela é “memoravelmente direta” em sua insistência em que a Igreja Episcopal busque justiça para todo o povo de Deus.

“Barbara sempre foi completa e totalmente Barbara. Ela nunca fingiu ser outra pessoa além de quem ela era, e ela dizia a verdade, independentemente do custo. Frequentemente esse custo era pago com o conforto e a dignidade dos líderes institucionais que, em sua opinião, não estavam suficientemente interessados ​​em permanecer ao lado dos marginalizados e vulneráveis. Eles aprenderam rapidamente que sua paixão pela justiça era comparada apenas ao seu senso de humor aguçado e destemido.”

Homenagens também foram prestadas pela Bispa de Indianapolis, Jennifer Baskerville-Burrows, à primeira mulher negra a servir como bispa diocesana na Igreja Episcopal com sede nos EUA: “Não tenho experiência na Igreja Episcopal sem a presença da Bispa Barbara Harris”, disse ela. “No ano em que ela se tornou a primeira bispa mulher na Comunhão Anglicana - 1988 – eu havia concluído a faculdade e estava me preparando para ser batizada.

 “Eu tinha uma assinatura da Episcopal Life, nossa antiga publicação denominacional mensal, e lia com admiração as histórias sobre ela enquanto estudava o que significava ser cristã, ser episcopal. Mais tarde, enquanto eu me preparava para a ordenação, minha teologia prática foi moldada pela The Witness, uma publicação da qual Barbara foi a editora por anos. Seu ministério literalmente ajudou a formar minha fé.

“Nas décadas seguintes pude observar Barbara de longe e de perto. Ela era minha amiga e mentora, e foi um presente extraordinário tê-la participando na minha consagração em 2017. Logo depois, fui convidada a prefaciar um livro de diálogos entre Barbara e o Bispo Presidente Michael Curry. Naquele momento entendi com força renovada o privilégio e a responsabilidade do legado que eu e tantas irmãs herdamos dela.”

Barbara Harris nasceu em 12 de junho de 1930 em Filadélfia, Pensilvânia. Ela trabalhou como chefe de relações públicas da Sun Oil Company antes de seu chamado para o ministério. Foi ordenada diácona em 1979 e sacerdotisa no ano seguinte. Em 1988, os bispos da Lambeth Conference decidiram que a questão da ordenação de mulheres ao episcopado era de responsabilidade de cada província. Mais tarde naquele ano, ela foi eleita para servir como Bispa Sufragânea de Massachusetts e foi consagrada em 11 de fevereiro de 1989, tornando-se a primeira bispa mulher na Comunhão Anglicana.

A Bispa Barbara Harris é consagrada em 11 de fevereiro de 1989

A decisão foi controversa e a Bispa Barbara recebeu uma torrente de ofensas, incluindo ameaças de morte. “Eu certamente não quero ser um dos meninos”, disse ela na época. “Quero oferecer meus dons peculiares como mulher negra. . . uma sensibilidade e uma consciência que resultam de mais do que um conhecimento passageiro da opressão.”

Aposentou-se em 2003 e atuou como Bispa Auxiliar na Diocese de Washington até 2007, quando voltou a Massachusetts, onde - até recentemente – atuou como voluntária um dia por semana na Catedral de St. Paul, em Boston.

“Sou grata simplesmente por ter tido a oportunidade de servir, no meu ministério leigo, que estava ativo, e nas três ordens do ministério ordenado, como diácona, sacerdotisa e bispa”, disse ela numa entrevista em 2014 para marcar o 25º aniversário de sua consagração.

Foram iniciados os preparativos para um funeral público na Catedral Nacional de Washington e uma cerimonia privada na Filadélfia, seguidos de um culto memorial na Igreja da Catedral de S. Paul em Boston. As cerimonias alusivas serão realizadas posteriormente devido às atuais restrições de viagens e reuniões de grupo causadas pela pandemia de Covid-19.