This website is best viewed with CSS and JavaScript enabled.

Ciclo de Oração Anglicano: A Igreja da Província da África Central

Posted on: February 11, 2020 10:04 AM
Related Categories:

Neste domingo, no Ciclo de Oração Anglicano, anglicanos de todo o mundo estarão orando pela Igreja da Província da África Central. A seguir, o Anglican Communion News Service apresenta a Província e sugere itens para a oração.


A Igreja da Província da África Central engloba quatro países: Botsuana, Malavi, Zâmbia e Zimbábue. Existem 15 dioceses na província e o primaz é o Arcebispo Albert Chama, Bispo do Norte de Zâmbia.

O primeiro missionário anglicano da província foi o Bispo Charles Mackenzie, que chegou ao Malavi em 1861 com o explorador britânico David Livingstone. A Igreja foi inaugurada como Província em 1955.

Embora a Província seja uma só, os problemas enfrentados por cada país variam - embora todos sejam afetados por um misto de secas e inundações causados pelas mudanças climáticas.

Botsuana

O Botsuana era um dos países mais pobres do mundo, mas recentemente tem se tornado uma das economias que mais crescem no mundo. No entanto, a vida no Botsuana não deixa de ter seus desafios e o país está entre os mais atingidos pela epidemia de HIV e Aids. O Botsuana tem a terceira maior taxa de prevalência de HIV e Aids e a doença tornou muitas crianças órfãs.

A Mothers’ Union (União das Mães) foi estabelecida no Botsuana em 1972 e tem mais de 1.400 membros. Seus projetos de extensão incluem atualmente uma creche, um projeto de crianças de rua, ministérios nas prisões e de visita a enfermos, e fazendo campanha contra a violência de gênero e o tráfico de pessoas.

Malavi

A organização United Society Partners in the Gospel (USPG, por sua sigla em Inglês) está atualmente trabalhando com a Igreja no Malavi e têm quatro áreas focais: educação para meninas, proteção dos meios de subsistência, gestão do meio ambiente e higiene e saneamento.

A igreja está trabalhando com parceiros para melhorar o acesso à escola e fornecer materiais educacionais às meninas, incluindo albergues femininos em internatos de escolas secundárias, além de levar educação para meninas às comunidades e educação via rádio.

Estima-se que 74% da população vive abaixo da linha de pobreza. A Igreja está tentando combater isso fornecendo treinamento em habilidades vocacionais e educação financeira, vinculando comunidades a serviços bancários, incentivando a formação de cooperativas de geração de renda e fornecendo treinamento em marketing comercial.

Para ajudar a gerenciar o meio ambiente, a Igreja está trabalhando na promoção de reflorestamento e fornecendo treinamento em práticas agrícolas sustentáveis, protegendo as fontes de água e promovendo uma melhor gestão de resíduos.

Muitas comunidades rurais no Malavi têm acesso muito limitado a água potável, porque as fontes de água são frequentemente contaminadas. A Igreja está conscientizando a população sobre questões relacionadas à higiene e saneamento, incentivando o uso de filtros de água com bio-areia e restaurando e construindo poços.

Zâmbia

Um dos maiores problemas que a Zâmbia enfrenta atualmente é a violência baseada em gênero (VBG). O USPG e a Mothers’ Union estão trabalhando para reduzir a vulnerabilidade das mulheres e a VBG.

Eles estão fazendo isso através do fornecimento de informações para que as mulheres estejam cientes de seus direitos. Estão ajudando as mulheres a superar o estigma de falar e apoiam as mulheres a se tornarem financeiramente seguras, para que não precisem depender de seus agressores. Estão desafiando estereótipos negativos contra as mulheres, que as deixam suscetíveis a maus-tratos, e estão incentivando a que avancem os modelos positivos de comportamento masculino para que os rapazes possam ver outros tratando as mulheres com respeito.

Zimbábue

A Igreja no Zimbábue está servindo o país apoiando o desenvolvimento liderado pelas comunidades e oferecendo um programa para combater o estigma do HIV.

Um programa de pesquisa realizado pela Igreja Anglicana, UNAIDS e a Rede Nacional de Pessoas Portadores de HIV no Zimbábue está visibilizando o que significa para as pessoas viverem com HIV. A pesquisa está ajudando os formuladores de políticas a desenvolver estratégias nacionais de HIV. Espera-se que a pesquisa seja usada para ajudar a quebrar o estigma do HIV na Igreja, ajudando as pessoas a falar mais abertamente sobre o cuidado de Deus pelas pessoas com HIV.

Na Diocese de Manicaland, a Igreja está adotando uma abordagem do estigma do HIV ligada à geração de renda e meios de subsistência. Várias comunidades da Diocese estão sendo incentivadas a iniciar seus próprios projetos de geração de renda. A Igreja reúne a comunidade para discutir suas preocupações, identificar habilidades e recursos locais e formular um plano de ação para fazer a diferença.

Oração

Por favor, intercedam pelo Arcebispo Albert Chama, seus bispos e suas bispas, seu clero e seu povo em suas orações; orem também pelos esforços para aliviar desastres relacionados à mudança climática na região; e pelos esforços para combater o HIV e a Aids.