This website is best viewed with CSS and JavaScript enabled.

A Comunhão Anglicana pede às Nações Unidas o fim da violência de gênero

Posted on: January 14, 2020 1:47 PM
Related Categories:

[ACNS, por Lucy Cowpland] O fim da violência de gênero e o papel das comunidades religiosas na luta pela igualdade de gênero estão entre os assuntos destacados pelo Anglican Communion Office (Escritório da Comunhão Anglicana) nas Nações Unidas (ACOUN por sua sigla em Inglês) antes da reunião deste ano da Comissão das Nações Unidas sobre o Status da Mulher (UNCSW). A 64ª reunião da UNCSW em março marcará o 25º aniversário da importante Declaração e Plataforma de Ação de Pequim.

Em uma declaração oficial à UNCSW, a ACOUN também destaca a necessidade de uma decisiva resposta à ameaça das mudanças climáticas e a importância das vozes das mulheres na linha de frente dos cuidados com a criação, particularmente das mulheres indígenas; e ainda demandam investimentos para o empoderamento econômico das mulheres.

Para apoiar a mensagem, a ACOUN estará levando uma delegação de oito mulheres de toda a Comunhão para Nova York em março.

A declaração identifica quatro áreas-chave antes da UNCSW64 e faz uma referência particular às ações que os Anglicanos de todo o mundo estão realizando em suas próprias comunidades relacionadas a cada uma dessas áreas-chave. Trata-se de resoluções específicas aprovadas pelo Conselho Consultivo Anglicano nas áreas de violência baseada em gênero e mudança climática.

São sete recomendações no final da declaração. Elas incluem instar os Estados membros da ONU a:

  • Tomar ações urgentes e rápidas para implementar e financiar totalmente a Declaração e a Plataforma de Ação de Pequim em parceria com a sociedade civil e outras partes interessadas, incluindo organizações religiosas e líderes religiosos;

  • Reconhecer o papel positivo que a fé e as comunidades religiosas estão desempenhando na execução de serviços sociais, na resposta humanitária, na construção de comunidades resilientes, na promoção do bem-estar, na transformação de normas sociais e na igualdade de gênero, e que considerem as comunidades religiosas como parceiras integrais da sociedade civil; e

  • Tomar medidas para reduzir lacunas e remover barreiras para a representação plena e igualitária das mulheres na liderança e na tomada de decisões em todos os níveis e em todos os setores.

A UNCSW64 se concentrará na revisão do 25º aniversário da Declaração de Pequim. Rachael Fraser, Diretora de incidência e Pesquisa da ACOUN, disse à ACNS que neste ano temos “um momento para comemorar o quão longe chegamos nos últimos 25 anos, mas também uma oportunidade de desafio para refletir sobre até onde ainda precisamos ir.”

  • Nesta semana, o Anglican Communion News Service publicou um blog de Marla Teixeira, Assistente de Administração e Pesquisa do Anglican Communion Office nas Nações Unidas, detalhando um ano na vida da Comunhão Anglicana na ONU.