This website is best viewed with CSS and JavaScript enabled.

Ciclo de Oração Anglicano: A Igreja Anglicana em Aotearoa, Nova Zelândia e Polinésia

Posted on: December 31, 2019 12:50 PM
Photo Credit: Anglican Taonga
Related Categories:

Neste domingo, 5 de janeiro de 2020, Anglicanos e Episcopais de todo o mundo orarão pela Igreja Anglicana em Aotearoa, Nova Zelândia e Polinésia, como parte do Ciclo de Oração Anglicano. De segunda a sábado a cada semana, o Ciclo de Oração Anglicano lista diferentes dioceses na Comunhão Anglicana para oração de intercessão. Aos domingos, é costume que toda uma província seja o foco da oração. Neste domingo, o primeiro dia de uma nova série semanal, os Arcebispos Donald Tamihere, Philip Richardson e Fereimi Cama, apresentam sua província e mencionam alguns indicadores específicos para a oração.


A província da Igreja Anglicana em Aotearoa, Nova Zelândia e Polinésia / Te Hāhi Mihinare ki Aotearoa, ki Niu Tīreni, ki Ng Moutere ou Moana Nui a Kiwa é composta por oito estados-nações espalhados por 11.000.000 milhas quadradas (aproximadamente 28.500.000 quilômetros quadrados) no Oceano Pacífico.

Somos uma província de muitas línguas, culturas e povos. De maneira única na Comunhão Anglicana, nossa província moldou sua vida e sua tomada de decisões juntamente com três parceiros: Māori, Pasefika e Pakeha, que, enquanto expressam sua identidade anglicana de maneira singular e culturalmente apropriada, estão comprometidos em tecer nosso distinto tikanga (fluxos culturais ) em um único corpo forte. Para fazer isso de forma eficaz somos constantemente chamados a refletir sobre nossa história e nossa prática atual e reconhecer nossos fracassos e sucessos ao viver essa aspiração de parceria.

Três relacionamentos tikanga são refletidos em todas as dimensões da vida de nossa província. Nosso Sínodo Geral, enquanto se reúne em uma estrutura tradicional de Casas por ordens (bispos(as), clérigos(as) e leigos(as)), também se reúne por Tikanga. Isso garante que as expressões minoritárias indígenas do Anglicanismo não sejam dominadas pela igreja majoritária dos colonos (Tikanga Pākehā). Da mesma forma, temos três Arcebispos, um para cada Tikanga, que juntos são o Primaz de nossa província.

Somos uma província significativamente afetada pelo impacto do aquecimento global, inclusive vendo algumas de nossas nações literalmente perdendo a batalha com o aumento do nível do mar. Consequentemente, o desenvolvimento da resiliência climática é uma grande prioridade para nossa província.

Nosso Sínodo Geral Te Hīnota Whānui se reúne a cada dois anos e se reunirá em maio de 2020. O cuidado com a criação e a resiliência climática deverá ser o tema central do nosso Sínodo Geral. Teremos o maior prazer em receber o Arcebispo Julio Murray Thompson, Primaz da Igreja Anglicana da Região da América Central e Bispo do Panamá, para liderar nossos estudos bíblicos diários.

Pedimos orações por nossos esforços contínuos para abordar as consequências da colonização, particularmente a privação de direitos dos povos Maori (povo indígena de Aotearoa, Nova Zelândia) e Pasefika ocorrida por meio da colonização, e o papel que a igreja dos colonos teve nisso. E orar por nossa Igreja enquanto procuramos ser agentes ativos de mudança em resposta ao aquecimento global.

Também pediríamos que vocês se juntassem a nós em agradecimento pelo incrível presente da cultura indígena e pela diversidade Anglicana, tanto em nossa província como em toda a Comunhão Anglicana.

Arcebispo Donald Tamihere
Te Pihopa ou Aotearoa

Arcebispo Philip Richardson
Bispo Sênior das Dioceses da Nova Zelândia

Arcebispo Fereimi Cama
Arcebispo da Polinésia