This website is best viewed with CSS and JavaScript enabled.

Notícias da Semana do Anglican Communion News Service - 13 de setembro de 2019

Posted on: September 13, 2019 11:32 AM
Related Categories:

Arcebispo de Canterbury se ajoelha no local da explosão em igreja do Sri Lanka

O Arcebispo de Canterbury, Justin Welby, ajoelhou-se em respeito no local onde um homem-bomba detonou explosivos na Igreja de São Sebastião em Negombo. O ato foi parte da visita de três dias do Arcebispo ao Sri Lanka no final de agosto.

Demonstrando sua solidariedade com o povo do Sri Lanka após os atentados no Dia da Páscoa, ele visitou a cidade litorânea de Negombo, onde mais de 100 pessoas morreram em 21 de abril de 2019. Um total de 263 pessoas foram mortas quando sete homens-bomba atacaram três igrejas e três hotéis de luxo no mesmo dia.

Ajoelhado sobre a área marcada onde os explosivos foram detonados durante a Missa da Páscoa e apontando para uma estátua de Cristo Ressuscitado manchada de sangue mantida em um invólucro de vidro, o Arcebispo disse: “Quando vejo esta estátua, esta imagem de Cristo coberta de sangue dos mártires, eu vejo nela sua coragem, sua fé e seu amor. Eu vejo o verdadeiro Cristo. Não o Cristo distante e limpo, mas o Cristo coberto de seu e de nosso sangue.”

Em sua mensagem na igreja, ele citou um sermão do pregador pessoal do Papa Francisco dado à rainha Elizabeth alguns anos atrás. “Quando eles vêm nos matar, perguntam-nos se somos Anglicanos, Pentecostais, Presbiterianos ou Católicos? Eles perguntam apenas se somos Cristãos... Então, quando, na manhã da Páscoa, ouvi falar dos terríveis eventos nesta igreja e em outros lugares no Sri Lanka, sabíamos que nossas irmãs e irmãos foram mortos e feridos, e calamos-nos e oramos por vocês,” ele disse à congregação.

Justin Welby também agradeceu aos Cristãos do Sri Lanka por mostrarem temperança após o massacre. Ele disse: “Estou perante vocês quase sem palavras; pois só posso agradecer aos Cristãos do Sri Lanka. Sabemos que o Cristo, que na cruz disse ‘Pai, perdoa-lhes’, conhece nossa raiva, sua dor, sua tristeza, e sabemos que através da ressurreição dele, até essa raiva, tristeza e dor se transformarão na pureza de se ter esperança”.

 “Precisamos aprender com o passado”, diz o Arcebispo de Canterbury no local do massacre na Índia

Aprender com o passado é essencial para evitar novas atrocidades como o massacre de Jallianwala Bagh, disse o Arcebispo de Canterbury após sua visita ao local do memorial do massacre na Índia nesta semana.

Welby tem viajado pelos principais locais da Índia nos últimos 10 dias a convite das igrejas do norte e do sul do país.

Ele foi fotografado prostrado em frente ao memorial, que marca os 100 anos desde a tragédia em que milhares de indianos desarmados de várias religiões diferentes foram baleados por tropas britânicas em 1919. 

Ele disse: “Vir aqui desperta um sentimento de profunda vergonha pelo que aconteceu neste lugar. É uma das várias manchas profundas da história britânica. A dor e o sofrimento que transcenderam as gerações desde então nunca devem ser descartadas ou negadas... Temos uma grande responsabilidade de não apenas lamentar esse horrível massacre, mas, mais importante, de aprender com ele de forma que mude nossas ações... O passado deve ser aprendido de modo que nada como isso jamais volte a acontecer.”

A visita ao local do massacre em Amritsar aconteceu no final de sua viagem, que começou em Kerala, onde ele orou com Cristãos da Igreja do Sul da Índia.

O Arcebispo, acompanhado na visita por sua esposa Caroline Welby, disse que o objetivo de sua visita era oração, peregrinação e preocupação pastoral, e que estava visitando como líder religioso para orar com os Cristãos, aprender sobre o Cristianismo na Índia e compartilhar de suas experiências.

Novo diretor do Centro Anglicano de Roma recebe abraço papal nas Ilhas Maurício

A visita do Papa Francisco às Ilhas Maurício na segunda-feira trouxe nova energia e confiança aos Cristãos do país, disse o Bispo das Ilhas Maurício, Ian Earnest, que sai do cargo este mês para assumir seu novo papel como diretor do Centro Anglicano de Roma.

Antigo Primaz da Igreja Anglicana do Oceano Índico, o Arcebispo Ian Ernest compareceu à missa no Monumento à Rainha Maria da Paz celebrada pelo Papa durante sua visita de um dia à Ilha. O Arcebispo disse que o momento da visita papal, poucas semanas antes de iniciar seu novo papel em Roma, o fez pensar sobre como Deus opera. “Foi uma grande oportunidade de se encontrar com ele, de fazer parte dessa celebração eucarística que ele celebrou diante de 100.000 pessoas com as autoridades do país.”

O Arcebispo Ian disse: “Como Anglicanos, oramos para que a visita do Papa pudesse criar um impacto em nosso povo, para que eles pudessem ver e descobrir os valores do reino de Deus. Estávamos nos preparando para isso, e não ficamos desapontados. ”

Ele disse que o Papa Francisco havia demonstrado seu compromisso com o alívio da pobreza e da injustiça e com o encorajamento das pessoas a cuidar da criação de Deus. Em uma reunião privada no palácio presidencial, ele também desafiou os líderes e principais representantes do país a lutar contra as mazelas sociais e resistir à tentação da corrupção.

A visita foi também palco de uma afirmação muito pessoal do novo papel do Arcebispo, quando o Papa o chamou para compartilhar o pão da eucaristia.

“Quando compartilhamos o pão, ele me abraçou, e foi realmente uma imagem incrível de um bispo Anglicano sendo abraçado pelo Papa – que imagem para o mundo.” Depois de se encontrar com o Papa mais tarde, ele disse: “Ele sabia que eu estava indo para Roma, e essa reunião e visita formaram uma boa base antes de eu assumir minha nova posição em Roma”.

Simbolizando seu compromisso de salvaguardar a criação de Deus, o Papa também regou várias pequenas árvores que serão plantadas nos quatro cantos da ilha. As Ilhas Maurício começaram a plantar cerca de 200.000 árvores antes da visita.