This website is best viewed with CSS and JavaScript enabled.

Notícias da Semana do Anglican Communion News Service – 15 de agosto de 2019

Posted on: August 15, 2019 3:20 PM
Related Categories:

Homenagens a pioneira da aprendizagem-serviço da Comunhão Anglicana

Uma série de homenagens foi prestada à Dra Linda Chisolm, fundadora e ex-Secretária-Geral da rede oficial de Faculdades e Universidades da Comunhão Anglicana (CUAC), em razão de seu falecimento.

A Dra. Chisholm, ex-Presidente da Associação de Faculdades Episcopais, foi uma pioneira da aprendizagem-serviço, também chamada de educação experiencial, e co-fundou a organização International Partnership for Service-Learning and Leadership, da qual ela mais tarde se tornaria presidente. Sua paixão pela aprendizagem-serviço combinou seus estudos acadêmicos e serviço voluntário no exterior no contexto do ensino superior.

Em março, ela se tornou a terceira beneficiária – e a primeira da Igreja Episcopal – da Distinguished Fellowship da CUAC, honraria concedida a “indivíduos que são modelos de serviço excepcional e ativo para a educação superior Anglicana em nível global”. O Arcebispo de Canterbury, Justin Welby, também expressou sua gratidão por escrito à Dra. Chisholm por suas contribuições à Comunhão Anglicana.

O Bispo-Emérito de Newcastle, Martin Wharton, diretor de longa data da CUAC, disse: “Sem sua visão, energia, trabalho árduo e habilidade consumada, é possível que a CUAC jamais tivesse existido”.

O Cônego James Callaway, atual Secretário-Geral da CUAC, prestou homenagem a Linda Chisholm. Ele disse: “Nos 35 anos em que a conheci, Linda era a ouvinte mais sincera e intensa que conheci.  Como Secretário-Geral, é com enorme admiração que segui em seus passos, sabendo que poderia confiar em seus conselhos e amizade.  Ela levantava-se pela manhã com um claro senso de propósito de aprender e contribuir.  Ela sempre tinha enormes expectativas para si e para os outros, e deixa para todos que a conheciam um poderoso legado a seguir.

Linda tornou-se Diretora Executiva da Associação de Faculdades Episcopais (AEC), e durante seus 16 anos de mandato fundou e tornou-se a primeira Secretária-Geral da CUAC, uma rede mundial de florescimento mútuo na educação superior que perpassa toda a Comunhão.

Um de seus livros sobre aprendizado-serviço foi Charting the Hero's Journey (“Traçando a Jornada do Herói”), que ensinava aos alunos a arte de escrever um diário enquanto estudavam e serviam no exterior.

A Dra. Chisholm, que era casada com o Rev. Alan Chisolm, morreu em casa em Nyack no dia 24 de julho, cercada por sua família, depois de viver alguns anos com linfoma. O funeral será realizado na Grace Church em Nyack (Nova York) na segunda-feira, 12 de agosto.

Igrejas são convidadas a participar do Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação

Os Anglicanos Verdes estão conclamando as igrejas a participar do Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação no domingo 1º de setembro. O dia marca o início de uma celebração anual de oração e ação para proteger a criação, chamada ‘Temporada da Criação’.

A temporada, que começa no dia 1º de setembro e segue até a festa de São Francisco no dia 4 de outubro, deve ser celebrada por dezenas de milhares de Cristãos em todo o mundo. Voluntários organizam uma série de eventos e atividades em suas próprias comunidades, desde cultos de oração a limpezas de lixo ou ações de defesa de direitos.

A Cônega Rachel Mash, Coordenadora Ambiental da Igreja Anglicana da África Austral, disse: “Esta é uma oportunidade maravilhosa para celebrar o Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação, já que este ano a data cai num domingo. Os materiais deste ano estão seguindo as leituras do lecionário e há toda uma gama de recursos disponíveis para download.”

O tema deste ano é a ‘teia da vida’, e há uma série recursos (já disponíveis no site da Comunhão Anglicana) projetados para ajudar as igrejas a refletirem sobre a destruição da teia da vida e orar por aqueles que mais sofrem por causa dessa perda.

Juntamente com toda uma variedade de eventos listados no site da Temporada da Criação, haverá uma ação global durante o mês da qual as igrejas e os indivíduos são convidados a participar.

Igreja Anglicana busca mulheres defensoras de direitos para participar de evento da ONU em 2020

A busca é por mulheres de toda a Comunhão Anglicana para participar da 64ª Sessão da Comissão das Nações Unidas sobre o Estatuto das Mulheres (CSW na sigla em inglês), a ser realizada em Nova York em março do próximo ano.

O Secretário-Geral da Comunhão Anglicana, Dr. Josiah Idowu-Fearon, afirmou: “Estou muito feliz em informar que este ano uma delegação de oito mulheres participou de duas semanas frutíferas de defesa de direitos, comunhão e aprendizado na CSW. Nossa equipe da ONU já está ouvindo relatos positivos sobre o trabalho que estão realizando em suas Províncias como resultado de sua viagem em Nova York.”

A reunião anual da CSW atrai 9.000 mulheres e homens de todas as regiões do mundo para a sede da ONU em Nova York, com delegados representando e defendendo cerca de 3,7 bilhões de mulheres e meninas em todo o mundo.

Rachael Fraser, que trabalha em administração e pesquisa para as equipes de interação com ONU, missão e justiça de gênero da Comunhão Anglicana e fez parte da delegação da Comunhão este ano, falou sobre a experiência: “Este é um evento tão importante porque, como organizações religiosas, as igrejas estão no coração das comunidades e têm o poder de impactar mudanças dentro e fora de suas paredes. Foi uma grande honra ser convidada, e o principal destaque foi a comunhão entre todas as delegadas, com tantas mulheres diferentes com experiências diversas”.

Uma das delegadas deste ano, Tomie Kaneko, do Japão, tem falado com grupos de mulheres em muitas igrejas sobre a CSW e os objetivos de desenvolvimento sustentável. Outra delegada, esta do Canadá, está trabalhando para integrar as vozes das mulheres indígenas nas principais conversas sobre igualdade de gênero e direitos das mulheres.

Jillian Abballe, Direitos de Defesa de Direitas do escritório da Comunhão Anglicana para a ONU, disse: “Eu acho que esses resultados realmente exemplificam nossa abordagem na CSW este ano: criar oportunidades para companheirismo, aprendizagem e defesa de direitos que façam despertar a preocupação de nossas delegadas por essas questões. Isto tem efeitos duradouros na Comunhão, através do audaciosos testemunho e compromisso dessas delegadas.”

A Comunhão Anglicana está à procura de mulheres com interesse na igualdade de gênero, o empoderamento de mulheres e meninas e liderança das mulheres e que tenham vontade de desenvolver um plano de defesa de direitos individual.

Ley-Anne Forsyth foi delegada pela primeira vez este ano. Ela trabalha com inquilinos vulneráveis para uma instituição de caridade social e é uma ávida defensora da justiça social na Diocese de Moray, Ross e Caithness dentro da Igreja Episcopal Escocesa. Ela disse: “Não importa se você está falando sobre as áreas rurais das Terras Altas da Escócia ou a nível global nas Nações Unidas, é o mesmo conceito de defender a igualdade de gênero e justiça de gênero e compartilhar nossas histórias nos lugares onde temos influência.”