This website is best viewed with CSS and JavaScript enabled.

Notícias da Semana do Anglican Communion News Service - 7 de junho de 2019

Posted on: June 7, 2019 6:16 PM
Related Categories:

Criminosos usam nome do Secretário-Geral da Comunhão Anglicana para cometer fraude com cartões-presente do iTunes

E-mails maliciosos concebidos para parecerem ter sido enviados pelo Secretário-Geral da Comunhão Anglicana, Dr. Josiah Idowu-Fearon, foram usados para adquirir cartões-presente do iTunes de vítimas do ataque. Pelo menos um destinatário foi enganado pelos golpistas e acabou perdendo 200 libras esterlinas. Os golpistas usaram uma conta do Gmail. A vítima acima recebeu a mensagem fraudulenta às 12h50 (BST) do sábado, 25 de maio – cerca de 16 horas depois que o Escritório da Comunhão Anglicana informou ao Google que a conta de e-mail estava sendo usada para cometer fraudes.

A fraude é cometida em várias etapas, culminando com a solicitação de que a vítima compre cartões-presente do iTunes em nome do remetente e encaminhe os detalhes a um terceiro. Na fraude cometida na semana passada, o “Secretário-Geral” disse ao destinatário que estava ocupado em uma reunião de negócios e queria que os cartões-presentes fossem enviados para um amigo que estava no hospital.

Esta semana, um porta-voz da Polícia da Cidade de Londres, que administra a ferramenta de relatório de fraude on-line Action Fraud para todas as forças policiais do Reino Unido, disse ao Anglican Communion News Service (ACNS) que os “fraudadores estão usando cartões-presente de lojas on-line para extorquir dinheiro das vítimas porque eles podem ser facilmente resgatados e vendidos. Os fraudadores não precisam do cartão físico para resgatar o valor; por isso, usam táticas para persuadir as vítimas a comprar cartões-presente em grandes quantidades e informá-los o número na parte de trás do cartão por telefone.”

Este tipo de fraude vem aumentando nos últimos anos. A National Fraud Intelligence Bureau (“Agência Nacional de Inteligência de Fraudes”) do Reino Unido informou que foram reportadas perdas superiores a £ 6,5 milhões com este tipo de fraude no período entre 1o de abril de 2015 e 31 de março de 2018. Já nos EUA, a Comissão Federal do Comércio (Federal Trade Commission, FTC) informou que houve um aumento de 95% no número de fraudes relacionadas a cartões-presente no ano passado. A FTC informou estar ciente de fraudes totalizando US$ 20 milhões em 2015, US$ 27 milhões em 2016 e US$ 40 milhões em 2017. Em setembro do ano passado, o total já havia atingido US$ 53 milhões.

Embora a Apple não seja responsável pela fraude, esta se torna um beneficiário involuntário. A empresa se recusou a informar ao ACNS se havia identificado quanto dinheiro havia ganho como resultado do golpe. Quando perguntada sobre as medidas tomadas para reprimir estas fraudes, a empresa se recusou a comentar além de dizer que tem uma página da web alertando sobre a fraude e que seus cartões-presente do iTunes contêm impressas neles as palavras “Não compartilhe seu código quem não conhece”.

O Diretor de Comunicações da Comunhão Anglicana, Gavin Drake, afirmou que “a equipe do Escritório da Comunhão Anglicana jamais solicita às pessoas que enviem cartões-presente em seu nome. Estamos cientes de que esse tipo de fraude identificada é muito comum. As pessoas devem ficar atentas ao receber tais solicitações.”

Rede Anglicana Internacional do Meio Ambiente incentiva as igrejas a combater a poluição do ar

Igrejas em todo o mundo estão sendo encorajadas a apoiar uma chamada à ação para combater a poluição do ar – o foco do Dia Mundial do Meio Ambiente celebrado esta semana (5 de junho). A poluição do ar foi descrita como um dos maiores desafios ambientais dos tempos modernos pela Rede Ambiental da Comunhão Anglicana (ACEN). Como parte de seus esforços, a campanha #BeatAirPollution (“Derrotar a Polução do Ar”) incentiva organizações religiosas a assumir uma posição de liderança na luta por um ar mais limpo e um meio ambiente melhor.

A Cônega Rachel Mash, Coordenadora Ambiental da Igreja Anglicana da África Austral, afirmou que “o Dia Mundial do Meio Ambiente convida todos a refletir sobre como podemos fazer mudanças em nossas vidas diárias para reduzir a poluição do ar, o que por sua vez pode reduzir as emissões de gases de efeito estufa e beneficiar a saúde das pessoas.”

Múltiplas Resoluções da reunião do Conselho Consultivo Anglicano em Hong Kong, publicadas esta semana em inglês (traduções para o portuguesas estarão disponíveis em breve), reconhecem que existe uma emergência climática global e encoraja todas as igrejas anglicanas a viverem a quinta Marca da Missão – “Lutar para salvaguardar a integridade da Criação, sustentar e renovar a vida da terra.”

A resolução da reunião relacionada a questões ambientais inclui as seguintes chamadas à ação: um dia de arrependimento público e um jejum Quaresmal para a criação; planos de ação, recursos e políticas de vida sustentável para minimizar o desperdício; aumento do uso de energias renováveis; incorporação do “cuidado da criação” à liturgia; identificação das ameaças climáticas; realização de conferências de planejamento estratégico sobre os objetivos de desenvolvimento sustentável e as mudanças climáticas; e incentivo para que a Lambeth Conference (“Conferência de Lambeth”) 2020 seja o mais ambientalmente sustentável possível.

Há também recursos disponíveis no site da Green Anglicans.

Oração pela reconciliação com os Judeus selecionada será discutida em primeira audiência no Sínodo Geral do Canadá

Quando Chris Dow, sacerdote da Diocese de Toronto e membro da Prayer Book Society of Canada (“Sociedade do Livro de Orações do Canadá, ou PBSC), ficou sabendo que havia um movimento para excluir a “oração pela conversão dos Judeus” do Livro de Oração Comum, ele pensou: “seria uma pena ver a antiga oração excluída.”

Por um lado, Dow pensou, excluir a oração poderia inadvertidamente enviar a mensagem de que a igreja estava tentando “encobrir” sua dolorosa história. Mas ele também viu ali uma oportunidade para redenção em um dos versos da oração: “Livrai-nos de todo o orgulho e preconceito.”

Uma moção para remover a oração foi levada ao Sínodo Geral em 2016, mas por pouco não conseguiu a aprovação de dois terços necessária em todas as três câmaras. Chris Dow preparou então uma nova oração, que será objeto de uma moção a ser apresentada perante o Sínodo Geral em julho para substituir a “oração pela conversão dos Judeus” por uma “oração pela reconciliação com os Judeus”.

Dow fez amplas consultas durante a preparação da versão preliminar da oração, inclusive com o Canadian Rabbinical Caucus (“Conselho Rabínico Canadense”), que ofereceu contribuições e aprovou a versão preliminar.

“A oração reuniu todos os tipos de pessoas diferentes. É realmente um projeto de orar em comum”, diz Dow.