This website is best viewed with CSS and JavaScript enabled.

Notícias da Semana do Anglican Communion News Service – sexta-feira, 10 de maio de 2019

Posted on: May 10, 2019 2:33 PM
Related Categories:

Bispos com visões opostas se abraçam após acordo trazido por pedido de desculpas do Arcebispo Welby

Um debate em que opiniões opostas e profundamente enraizadas sobre a questão da sexualidade humana foram firme mas educadamente expressadas ameaçava soar um desentendimento no último dia inteiro de trabalhos da décima sétima reunião do Conselho Consultivo Anglicano, realizada em Hong Kong e encerrada no último sábado (4 de maio). No entanto, após uma pausa nos procedimentos para discussão e orações e um subsequente pedido de desculpas do Arcebispo de Canterbury com relação aos convites para a Lambeth Conference (Conferência de Lambeth), produziu-se uma resolução de compromisso, acompanhada de abraços de dois bispos que haviam falado mais cedo em oposição um ao outro.

O debate foi motivado por um projeto de resolução proposto pelo Bispo Ed Konieczny, membro da Igreja Episcopal sediada nos EUA. A resolução buscava renovar o compromisso da Comunhão Anglicana com o processo de consulta sobre a sexualidade humana solicitado pela Resolução I.10 da Lambeth Conference de 1998, mas sua redação revelou-se controversa. Alguns membros descreveram o projeto de resolução como “ambíguo”, e um deles disse que ele forneceria “um prato cheio para a GAFCON (Conferência Mundial sobre o Futuro Anglicano)” e causaria um “sinal de alerta” em algumas províncias.

A reunião teve uma pausa para orações antes das mesas redondas, e foi depois interrompida para um intervalo prolongado antecipado para o chá da tarde, durante o qual o Arcebispo de Canterbury, Justin Welby, juntamente com o bispo Ed, o Bispo de Nairóbi Joel Waweru e outros reuniram-se para discutir a resolução.

Cerca de 45 minutos após a suspensão do processo, a vice-presidente do ACC, Maggie Swinson, anunciou que a reunião prosseguiria para uma sessão informal. O Arcebispo Justin subiu ao púlpito para proferir um discurso emocionado, que traduziu ele mesmo para o francês e pediu aos membros do ACC que traduzissem para o espanhol e suaíli.

No discurso, Welby pediu desculpas pelo sofrimento causado por seus convites para a Lambeth Conference – tanto àqueles que se opunham ao convite a bispos em relacionamentos homoafetivos e àqueles que se opõem a sua decisão de não convidar os cônjuges do mesmo sexo.

Ele solicitou uma votação indicativa por levantar de mãos para testar o apoio a uma moção emendada que, em parte, expressou “nossa preocupação com relação aos convites para a Lambeth Conference”, explicou. “Essa preocupação vem em duas direções. A primeira é que certas pessoas foram convidadas e a segunda é que certas pessoas não foram convidadas. E pessoas diferentes estão profundamente preocupadas com as duas coisas. E isso é minha culpa e minha responsabilidade.”

A moção emendada também pediu ao Arcebispo “que examine todas as questões de discriminação em toda a Comunhão Anglicana, faça recomendações ao Comitê Permanente e preste relatório à ACC18”. Quando a reunião foi retomada em uma sessão formal, a resolução foi aprovada com 83 votos a favor e nenhum contra. Houve três abstenções.

Depois que o resultado foi anunciado, o Bispo Joel e o Bispo de Bujumbura, Eraste Bigirimana, da Igreja Anglicana do Burundi, aproximaram-se do Bispo Ed e os três se abraçaram. Ao fazê-lo, os membros do Conselho cantaram de improviso o canto Taizé: “Louva o Senhor oh minh’alma”.

Conselho Consultivo Anglicano pede que Igrejas adotem diretrizes internacionais de salvaguarda

O Conselho Consultivo Anglicano (ACC) aprovou novas diretrizes para “aumentar a segurança de todas as pessoas – especialmente crianças, jovens e adultos vulneráveis – dentro das províncias da Comunhão Anglicana”. As diretrizes foram elaboradas nos últimos três anos pela Comissão por uma Igreja Segura, estabelecida a pedido do ACC em sua última reunião em Lusaka em abril de 2016. Ao aprovar as diretrizes, o ACC afirmou que estava reconhecendo “as falhas do passado” e que “determinou-se que toda igreja na Comunhão Anglicana deve ser um lugar seguro para todos”.

“É um valor evangélico fundamental que nossas igrejas sejam seguras”, disse Garth Blake, advogado australiano que preside a Comissão por uma Igreja Segura. “Devemos assegurar que todas as nossas igrejas – cada uma das igrejas membro de nossa família de igrejas – seja um lugar seguro para todos, especialmente crianças, jovens e adultos vulneráveis.”

Durante seus trabalhos, a Comissão ouviu várias vítimas e sobreviventes – um processo que Blake descreveu como “altamente confrontante”. Recordando as conversas, ele disse: “em um caso, uma jovem mulher foi resgatada do abuso e aquele que a resgatou a abusou novamente”.

A importância da Comissão e do seu trabalho foi salientada pelo Arcebispo de Canterbury, Justin Welby. Em uma coletiva de imprensa na véspera da reunião do ACC, ele disse que “algo inerente a fazer parte de uma comunhão é que você aprende não apenas com os sucessos das pessoas, mas também com os fracassos e vergonhas das pessoas.

“A Comissão por uma Igreja Segura está no absoluto cerne da missão ou discipulado intencional. Você não pode ter uma igreja que maltrate crianças ou adultos vulneráveis, e portanto [este] relatório é crucial.”

A Comunhão Anglicana é composta de 40 igrejas autônomas interdependentes e sem autoridade central, de modo que o ACC não tem poder para impor regulamentos.

“É claro que não há a capacidade de exigir conformidade, mas o Conselho Consultivo tem uma forte autoridade moral”, disse Blake. “Acredito que, com a adoção e apoio do Conselho Consultivo e a realidade do problema, haverá forte motivação para implementar as diretrizes e relatar como estamos nos saindo.

“Estamos todos juntos em uma jornada nesta questão de criar uma igreja segura. Alguns estão mais a frente no caminho, alguns mal começaram, mas é algo que todos nós precisamos fazer juntos.”

O ACC está pedindo a todas as Igrejas membros e dioceses extra provinciais que adotem a nova Carta por uma Igreja Segura e implementem um Protocolo preexistente caso ainda não o tenham feito. As Igrejas também estão sendo solicitadas a implementar as diretrizes e relatar o progresso a próxima reunião do ACC em 2022.

Elas também estão sendo solicitadas a nomear um representante perante a Comissão para fins de acompanhamento da adoção da Carta, da implementação do Protocolo e das diretrizes, e da preparação de futuras recomendações.


Arcebispo Welby: Igrejas Anglicanas devem limitar ação independente por amor uns aos outros

O Arcebispo de Canterbury, Justin Welby, usou seu discurso presidencial à ACC para afirmar que a Comunhão Anglicana não existe para si mesma, e que, embora cada província seja autônoma, “ser interdependente significa que devemos limitar esse direito por amor uns aos outros”.

O discurso também relembrou o tema da ACC-17: “É minha profunda esperança e oração que este ano, reunidos sob o tema ‘Equipar o Povo de Deus: Aprofundando o Discipulado Intencional’ e focando pela segunda vez no discipulado intencional, tenhamos a oportunidade de refletir sobre o caminhar juntos em nossa vida como o Corpo de Cristo e o viver como testemunhas da glória de Deus.”

Através de histórias, ele falou sobre como os quatro instrumentos da Comunhão – o Conselho Consultivo Anglicano, o Primates’ Meeting (Encontro dos Primazes), a Lambeth Conference e o Arcebispo de Canterbury – colaboram para dar apoio e estrutura à Comunhão.

“A Comunhão Anglicana está em toda parte”, disse ele. “Somos diversos, discordamos, mas apesar de sermos muitos, somos um só corpo em Jesus Cristo – ninguém melhor, ninguém pior, todos nós pecadores e discípulos conhecidos e amados por Deus.

“Como parte da igreja de Deus, como discípulos de Cristo, como aqueles que se esforçam para ser intencionais em nossa devoção, podemos e devemos nos alegrar dia após dia por fazer parte da maravilha que é a igreja de Deus; confusa, contrária, argumentativa, mas, no final das contas, a igreja de Deus, para fazer a obra de Deus no mundo de Deus.”

  • Clique aqui para ler o texto completo do discurso presidencial do Arcebispo Justin.

Novo membro da juventude do Conselho Consultivo Anglicano eleito para o Comitê Permanente

Os membros do Conselho Consultivo Anglicano elegeram três novos membros para seu Comitê Permanente – incluindo, pela primeira vez, um membro da juventude. Os três membros recém-eleitos incluem Joyce Haji Liundi, da Igreja Anglicana da Tanzânia, e Hosam Elias Naoum, decano da Catedral de São Jorge de Jerusalém e membro da Igreja Episcopal de Jerusalém e Oriente Médio. O terceiro novo membro é Basetsana Makena, da Igreja Anglicana da África Austral, que participou de sua primeira reunião do ACC como um dos novos Membros da Juventude regionais, representando o continente da África.

O Comitê Permanente é um grupo de 15 membros que inclui o Arcebispo de Canterbury. Sete são membros eleitos do ACC e cinco são membros do Comitê Permanente dos Primazes. Os outros dois membros são o Presidente e o Vice-Presidente do ACC, eleitos pelos membros em sessão plenária. A função do Comitê Permanente é ajudar as Igrejas da Comunhão Anglicana a promover o trabalho de sua missão em todo o mundo.

O Comitê Permanente reuniu-se pela primeira vez com sua nova composição no último sábado (4 de maio). Ele costuma realizar uma reunião presencial de uma semana a cada ano e várias em formato eletrônico. Como se reuniram pessoalmente no ACC-17, eles realizarão sua próxima reunião presencial até o ano que vem.