This website is best viewed with CSS and JavaScript enabled.

Notícias da Semana do Anglican Communion News Service - sexta-feira, 1º de fevereiro de 2019

Posted on: February 1, 2019 11:22 AM
Related Categories:

Ataque de grupo leal ao Daesh a catedral na ilha filipina de Jolo deixa vinte mortos

Uma série de explosões em uma catedral católica nas Filipinas no último domingo (27 de janeiro) resultaram na perda de 20 vidas. A primeira bomba explodiu dentro da catedral enquanto os fieis assistiam à missa na Catedral de Nossa Senhora do Carmo em Barangay. A segunda explosão ocorreu fora da catedral, enquanto as forças de segurança respondiam à primeira explosão. Cinco soldados foram mortos pela segunda explosão, mas a maioria dos 20 mortos e 100 feridos eram civis.

O grupo terrorista Abu Sayyaf, que tem ligações com o Daesh (o chamado “Estado Islâmico”), reivindicou a responsabilidade pelos atentados, dizendo que “dois cavaleiros do martírio“ haviam atacado o que chamaram de “templo dos cruzados“.

O Arcebispo do Sudeste Asiático Moon Hing, Presidente do Council of the Church in East Asia (“Conselho da Igreja no Leste da Ásia), órgão que reúne as províncias anglicanas da região, disse ao Anglican Communion News Service (“Serviço de Notícias da Comunhão Anglicana”), que “condena veementemente este ato de terror desumano e irresponsável... É tão triste que existam pessoas que ainda vivem com uma mentalidade e concepção de mundo medievais. Para eles, vidas humanas são vistas apenas como mercadorias ou massas de manobra para que os líderes possam realizar e satisfazer seu orgulho, necessidade de controle e desejos egoístas”.

Novas alegações de abuso contra o falecido bispo George Bell são “infundadas”, de acordo com investigação

Uma investigação independente realizada por um advogado de grande experiência determinou que as novas alegações contra o falecido bispo George Bell são “infundadas”. O Arcebispo de Canterbury, Justin Welby, pediu desculpas pelo modo como a Igreja lidou com as alegações iniciais contra o Bispo Bell quando estas foram tornadas públicas em outubro de 2015, descrevendo-o como um “bispo da mais alta estima”.

Em outubro de 2015, a Igreja Anglicana emitiu uma declaração anunciando que havia chegado a um acordo em um processo civil instaurado por uma requerente descrita como “Carol”, que alegou ter sido abusada por Bell quando era criança. Uma auditoria independente em 2017 criticou os processos usados pela Igreja para lidar com as alegações de Carol. A nova investigação não analisou a queixa de Carol, mas examinou as acusações que surgiram após seu acordo ter sido divulgado ao público.

As novas alegações foram brevemente investigadas pela Polícia de Sussex antes da investigação por Timothy Briden, QC, Vigário Geral da Província de Canterbury. Ele foi auxiliado pelo ex-detetive superintendente Ray Galloway. O Sr. Briden concluiu que as novas alegações eram “infundadas”.

Grupo de Trabalho de Arcebispo convoca a Comunhão Anglicana a Jornada de Oração e Arrependimento

Um grupo de trabalho internacional estabelecido pelo Arcebispo de Canterbury para restaurar os relacionamentos na Comunhão Anglicana está propondo uma Jornada de Oração e Arrependimento. O Grupo de Trabalho do Arcebispo foi criado após a Primates’ Meeting (Reunião dos Primazes) de Canterbury em janeiro de 2016 com a missão de “restaurar relacionamentos, reconstruir a confiança e responsabilidade mútuas, curar o legado da dor e explorar relacionamentos mais profundos”.

O grupo sugeriu a celebração de uma semana de oração e arrependimento durante a quinta semana da Quaresma de 2020 (de 29 de março a 5 de abril). O Arcebispo Moon Hing do Sudeste Asiático, que também atua como Bispo do Oeste da Malásia, escreveu uma oração para ser usada durante a semana. O Grupo de Trabalho disponibilizará outros recursos para ajudar as igrejas da Comunhão a participar.

Ao propor uma Jornada de Oração e Arrependimento, os membros do Grupo de Trabalho enfatizam que não buscam atribuir culpa a qualquer parte específica da Comunhão. A Bispa de Huron no Canadá, Linda Nicholls, explicou que “ao propor pela primeira vez uma jornada de arrependimento, deixamos muito claro que trata-se de reafirmar uma admoestação bíblica de que todos pecamos e ficamos aquém da glória de Deus, e que cada um de nós tem áreas em nossas vidas, individualmente e coletivamente, que requerem arrependimento”.

Arcebispo George Takeli deixa o cargo de Primaz da Igreja Anglicana da Melanésia

O Primaz da Igreja Anglicana da Melanésia (ACOM), Arcebispo George Takeli, vai deixar o cargo ao completar 60 anos de idade em 25 de março próximo. Ele terá servido como arcebispo por quase três anos.

O Arcebispo George serviu na Divisão Marinha das Ilhas Salomão antes de ser ordenado sacerdote. Depois de 20 anos no ministério, ele foi consagrado a servir como Bispo de Temotu - cargo que ocupou por seis anos até ser eleito Arcebispo e Primaz.

Em entrevista, o Arcebispo afirmou que “trabalhei para implementar a visão que Deus colocou no meu coração para esta Igreja, de construir o ACOM e ajudar a igreja a crescer e amadurecer em todos os aspectos do bem-estar espiritual, sócio-político, econômico e cultural”.

O processo de seleção do próximo Arcebispo e Primaz da Igreja Anglicana da Melanésia começará após a aposentadoria do Arcebispo George.

  • A Igreja da Província das Índias Ocidentais elegerá seu novo Arcebispo e Primaz na segunda-feira, 27 de maio. O novo Primaz e Arcebispo do Canadá será eleito no sábado, 13 de julho. No dia 10 de março, Fereimi Cama será consagrado e empossado como Bispo da Polinésia e Primaz e Arcebispo da Igreja Anglicana de Aotearoa, Nova Zelândia e Polinésia na Catedral da Santíssima Trindade em Suva.

“Não condenamos à morte com base em provas falsas” – Tribunal confirma a absolvição de Asia Bibi

Uma tentativa de extremistas islâmicos de anular a absolvição de Asia Bibi, que havia sido detida por oito anos no corredor da morte acusada de blasfêmia, foi rejeitada pela Suprema Corte do Paquistão. Houve tumultos em diversas cidades do Paquistão depois que Asia Bibi foi finalmente inocentada em outubro do ano passado. O tribunal decidiu na época que o caso contra ela se baseava em “conflitos” e “contradições”. Os protestos se encerraram quando um grupo linha-dura foi informado de que poderia recorrer da decisão.

“Nego provimento à petição em seus méritos”, afirmou o juiz Asif Saeed Khosa no tribunal hoje (terça-feira). Khosa criticou os peticionários e disse que estes não haviam indicado qualquer erro no julgamento que absolveu Bibi. “Vocês acham que condenamos alguém à morte com base em provas falsas?”, ele disse. “Tantas mentiras foram contadas que uma declaração não bate com a outra.”