This website is best viewed with CSS and JavaScript enabled.

Blog - Maravilhosa Graça

Posted on: January 21, 2020 1:21 PM
Photo Credit: ACNS
Related Categories:

O Secretário Geral da Comunhão Anglicana, Dr. Josiah Idowu-Fearon, reflete sobre o Primate´s Meeting da semana passada na Jordânia. 


Quando o então Arcebispo de Canterbury, Donald Coggan, convocou pela primeira vez os primazes da Comunhão Anglicana em 1978, ele teve em mente criar uma oportunidade para ”reflexão pacífica, oração e consulta profunda.” Na semana passada, na Jordânia, 42 anos após o primeiro encontro, um grande número de primazes da Comunhão Anglicana se reuniu para fazer exatamente isso.

Foi um privilégio ouvir os líderes anglicanos de todo o mundo enquanto informavam seus colegas primazes sobre assuntos de suas províncias. Foi, simultaneamente, um momento doloroso e de grande alegria. Ouvimos falar de conflito e guerra, de perseguição e restrições a possibilidades de os cristãos compartilharem sua fé. E ouvimos falar de grande crescimento e de novas liberdades para os cristãos - incluindo, em um país, a restauração de uma marcha pública tradicional de testemunho e em outros países o plantio de um grande número de novas igrejas.

Tivemos a honra de começar nosso encontro com uma audiência com o Rei Abdullah II. Sua Majestade falou conosco sobre o papel que a Jordânia desempenha na região no trabalho pela estabilidade e pela paz; e os esforços dele e de sua família na proteção da comunidade cristã na região. Sua Majestade falou enfaticamente da necessidade de garantir a presença cristã contínua nesta região.

Fomos hospedados pelo Arcebispo Suheil Dawani, Arcebispo Anglicano / Episcopal em Jerusalém, cuja diocese abrange Israel, Palestina, Síria, Líbano e Jordânia; e pelo Presidente Bispo Michael Lewis, Primaz da Igreja Episcopal de Jerusalém e Oriente Médio. A Diocese em Jerusalém é uma pequena comunidade - uma minoria dentro de uma minoria - mas é altamente respeitada na região por seus importantes ministérios de saúde e educação.

Durante a reunião, os Primazes discutiram uma série de questões e dedicaram muito tempo preparando a próxima Lambeth Conference de bispos e bispas anglicanos(as) e a receber o resultado do Grupo de Trabalho dos Primazes, estabelecido após o Primates’ Meeting (Encontro de Primazes) de janeiro de 2016 com a tarefa de propor maneiras pelas quais a Comunhão Anglicana possa cumprir o compromisso dos primazes “de caminhar juntos, por mais doloroso que seja e apesar de nossas diferenças, como uma expressão profunda de nossa unidade no corpo de Cristo."

Esse compromisso de caminhar juntos ficou muito evidente na reunião da semana passada. Claro que havia diferenças. Sempre haverá. Sempre houve. As cartas do Novo Testamento estão cheias delas. Mas, apesar dessas diferenças - que foram expressas e não foram ocultadas -, havia também um espírito de unidade. Os primazes se ouviram com respeito; e eles oraram juntos e uns pelos outros.

Havia um sentimento da maravilhosa graça de Deus presente na reunião e fiquei muito empolgado com o que vi, ouvi e experimentei. Oro e espero, com grande expectativa, que esse sentimento de reflexão pacífica, oração e consulta profunda seja levado adiante à Lambeth Conference a realizar-se ainda neste ano.

Quando os primazes se reúnem, por melhor que seja a reunião, sempre pensamos naqueles que não estão conosco. Na semana passada, os primazes de Uganda, Nigéria e Ruanda decidiram não participar devido a diferenças na Comunhão; e a Igreja do Sul da Índia estava ocupada elegendo um novo moderador quando estávamos viajando para a Jordânia. Mais três primazes, do Norte da Índia, Papua Nova Guiné e África Central, estavam ausentes devido a problemas de saúde, segurança e logística.

Por favor, juntem-se a mim na oração por todos os primazes, suas províncias e dioceses neste momento emocionante da Comunhão Anglicana.